Category Archives: General

Conheça o novo ministro da Educação, o professor Carlos Alberto Decotelli

Como mais uma das mudanças do Governo Bolsonaro, o novo ministro da educação é anunciado e muitos brasileiros passam então a conhecer o nome do professor Carlos Alberto Decotelli. Veja a notícia detalhada a seguir e entenda a situação atual:

Muitos eleitores da esquerda e até mesmo da direita foram pegos de surpresa com a recente notícia sobre o Governo Bolsonaro. Depois de convidar o professor Carlos Alberto Decotelli para uma conversa, o presidente anunciou através de suas mídias sociais que o professor seria o novo Ministro da Educação.

O Ministério da Educação vinha sofrendo ataques e questionamentos contínuos devido a sua pouca efetividade com os processos educacionais  e as recorrentes fraudes em licitações. A previsão de mudança seria evidente, mas o que realmente chocou o público foi o fato do professor sequer estar presente na lista de possíveis convidados do cargo.

Quais as responsabilidades do Ministro da Educação?

O Ministério da Educação é responsável por elaborar, executar e realizar a manutenção de processos educacionais de todos os níveis, assim como garantir a educação básica para todos.

Podemos citar como um dos exemplo do papel do Ministro da Educação, o funcionamento do SISU 2021um sistema que distribuiu vagas no ensino superior da rede pública através da pontuação do Exame Nacional do Ensino Médio.

As medidas e previsões referentes a este sistema e ao Enem, por exemplo, precisam ser aprovadas pelo Ministro, que agora, passa a ser Carlos Decotelli.

Quem é Decotelli?

Mas afinal, quem é Carlos Alberto Decotelli? Tendo participado da elaboração de projetos para a mudança de Governo a favor de Bolsonaro, o professor Decotelli é bacharel em Ciência Econômicas formado na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

A sua atuação como professor ocorreu na Escola de Guerra Naval. Além de atuar na área da educação, Carlos Decotelli, de 67 anos, também serviu como oficial da reserva da Marinha e presidiu o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação.

Quais os maiores desafios?

A crise do coronavírus tem colocado a prova basicamente todo setor público e com a educação, isso não seria diferente. Assumindo o posto em um momento de pandemia, um dos maiores desafios de Decotelli é promover soluções e adaptações para o modelo educacional.

Devido ao isolamento social e a impossibilidade de aglomeração, as instituições de ensino precisam recorrer a mudanças funcionais e será papel do ministério da educação e do ministério da saúde promover medidas que solucionem esses problemas.

Conheça algumas das medidas sociais contra crise do coronavírus

Desde que a pandemia do coronavírus levou o brasileiro ao isolamento social, diversos problemas relacionados a economia começaram a aparecer, como o aumento do desemprego, risco de fome e comércio estagnado. Por isso, o Governo foi levado a tomar algumas medidas com o intuito de minimizar os efeitos da crise do coronavírus. Veja a seguir quais são essas medidas:

Auxílio Emergencial

A primeira e mais comentada medida que podemos citar é a do auxílio emergencial. Uma vez que os cidadãos estão em isolamento social, a maioria dos serviços foram suspensos impossibilitando milhões de brasileiros de trabalhar. Isso acarretou no atul cenário de diversas famílias que passaram a ficar sem renda e ainda possuem contas a pagar e suas necessidades básicas.

A medida que o Governo promoveu para minimizar esse efeito e garantir que as famílias brasileiras mais vulneráveis pudessem ter suporte foi o auxílio emergencial, que promove um valor equivalente a R$600 para trabalhadores informais, microempreendedores individuais registrados como MEI e desempregados.

É importante ressaltar que quem se encontra dentro dessas categorias precisa ainda ter uma renda familiar de até três salários mínimos para receber e que esse auxílio previsto dobra no caso de beneficiárias mulheres e chefes de família.

Bolsa Família Emergencial

Você conferiu acima o auxílio emergencial, previsto para as famílias brasileiras que estão sofrendo os efeitos do coronavírus e não possuem renda fixa, mas vale lembrar que existe também o Bolsa Família emergencial que é uma categoria diferente desse benefício.

Isto porque, quem já recebe o Bolsa Família não precisa passar por análise ao solicitar o auxílio. Na verdade, quem já é participante do programa não precisa sequer requirir o valor, pois este já será depositado automaticamente em sua conta.

Auxílio Merenda

Um recurso um pouco diferentes dos que já foram aqui apresentados é o auxílio merendaPara quem não sabe, a rede pública de ensino oferta para os estudantes, tanto de escolas integrais, como semi-integrais e como regulares, algumas refeições como café da manhã, almoço e lanche. Entretanto, com a crise do coronavírus as aulas foram suspensos e esses estudantes pararam de ter aceso a essas refeiçoes.

E por isso, o Governo criou o auxílio merenda, que visa fornecer um valor para substituir essas refeições através de um cartão magnéticos. O cartão poderá ser utilizado nos estabelecimentos determinados pelo novo programa para comprar alimento. O valor previsto é de R$50, mas a medida fica sujeita aos critérios de cada estado.

Crise do coronavírus provoca mudanças no INSS

A crise do coronavírus provocou mudanças em diversos setores da vida do brasileiro, como o social, devido ao isolamento para evitar a propagação da doença, e o econômico, devido ao alto índice de desemprego. Até mesmo o próprio INSS precisou aderir a algumas alterações para facilitar a vida do brasileiro. Veja a seguir do que se trata:

Como mencionado, diversas mudanças estão sendo elaboradas para diminuir os efeitos negativos do coronavírus. Uma delas é o coronavoucher, um recurso elaborado para oferecer suporte financeiro aos brasileiros que tiveram seus serviços cotidianos interrompidos e por consequência, privação de sua renda mensal.

O benefício promove o valor de R$600 para trabalhadores informais, MEI e desempregados. Vale lembrar que um valor de R$1.200 está garantindo para as mulheres que são chefes de família e se classificam na lista de recebedores. Os valores mencionados serão repetidos em três parcelas, totalizando respectivamente R$1.800 e R$3.600.

Outros dois recursos também foram elaborados para facilitar a vida dos brasileiros: o auxílio merenda, destinado a crianças e jovens que estudavam na rede publica de ensino e costumavam fazer refeições no ambiente escolar; e o Bolsa Família Emergencial, que vai ampliar o valor da bolsa, acrescentado R$600 e R$1.200.

Sendo assim, não é difícil imaginar que o INSS tomou algumas medidas a fim de facilitar a vida de alguns brasileiros. A instituição resolveu possibilitar o 13° INSS antecipadoO benefício do 13° salário é referente a uma bonificação anual que replica a sua remuneração mensal acrescentando um salário extra que pode ser pago em duas parcelas realizadas em novembro e dezembro.

O décimo é um dos benefícios mais importantes para o trabalhador brasileiros e pode significar uma melhoria para a economia anualmente. Pensando nisso, o INSS resolveu liberar o recurso para os cidadãos, entretanto, vale mencionar que apenas aposentados e pensionistas do INSS poderão estar sacando o valor que está previsto para pagamento nos meses de maio e junho.

A notícia proporcionou alivio para muitas famílias brasileiras, mas deixou quem não tem direito a receber irritado. E para esse público que não tem acesso ao recurso, vale a pena mencionar que possivelmente o Governo estará liberando o saque do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) ara os trabalhadores inativos e ativos.

A previsão do saque é para o meio do ano e para saber se o valor será mesmo liberado, é necessário estar atento às plataformas oficiais de  informação e não perder as últimas notícias.

Quero me candidatar a vereador: Veja como fazer!

A carreira política interessa a muitas pessoas, entretanto, nem todo mundo conhece os processos que ela envolve. Por isso, pode parecer até difícil alcançar determinado cargo político, mas com as dicas certas você pode garantir a sua candidatura. Quer se tornar vereador? Veja o que é preciso fazer:

Quais os requisitos para se tornar vereador?

Mas afinal, o que é preciso para se tornar vereador? Obviamente, entender de política não é tudo que você precisa para assumir esse cargo. Existe uma série de exigências para tanto e são elas:

  • Ser brasileiro nato ou nacionalizado oficialmente;
  • Estar de acordo com Tribunal Regional Eleitoral (TRE);
  • Estar de acordo com a Justiça Eleitoral;
  • Saber ler e escrever;
  • Possuir domicílio eleitoral no município que quer concorrer;
  • Ter filiação a um partido político, pelo menos, 1 ano antes da candidatura;
  • Ter 18 anos completos até o dia do registro da candidatura;
  • Apresentar certificado de reservista, se for o caso.

Como dar inicio a candidatura?

Para começar a sua candidatura ao cargo de vereador, é preciso estar atento a alguns documentos. O primeiro deles se trata da cópia da ata, devidamente rubricada que valida a escolha do vereador por parte do partido ou coligação. Esse e outros documentos são providenciados pelo próprio partido no qual você está filiado. No total são:

  • Cópia da ata;
  • Requerimento de Registro de Candidaturas (RRC);
  • Demonstrativo de Regularidade de Atos Partidários (Drap).

Enquanto isso, o candidato precisa garantir outros documentos, como a autorização por escrito da candidatura. Além disso, também é necessário apresentar a certidão de filiação partidária, comprovando a filiação ao partido dentro do tempo previsto. Os outros documentos são:

  • Declaração de bens;
  • Cópia dos documentos de identificação e título de eleitor;
  • oto atual;
  • Ficha 19;
  • Certidão criminal.

Quais os procedimentos para a campanha?

Com a parte burocrática da candidatura em ordem, é necessário estar de acordo com os requisitos da campanha. Todo candidato precisa abrir uma conta bancária exclusiva para o depósito da renda dedicada a própria campanha. Para quem tem menos de 20 mil eleitores, a abertura dessa conta é facultativa.

Após a validação da candidatura, a Justiça Eleitoral enviará o documento de inscrição do Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ), outro requisito fundamental para a campanha política.

A conta bancária precisa ser aberta com a apresentação do CNPJ em um banco reconhecido pelo Banco Central do Brasil. A partir dai, a instituição financeira tem até 3 dias para validar a abertura da conta.

Conheça as principais medidas do governo Bolsonaro em combate ao coronavírus

Além de ser uma ameaça para as vidas de bilhões de pessoas no mundo inteiro, o coronavírus promete ainda, continuar sendo uma ameaça para a qualidade de vida, mesmo ao ser erradicado.

Para tentar converter os efeitos econômicos que a pandemia de coronavírus já começou a criar, o Governo Bolsonaro começou a instalar medidas que visam reverter a situação a longo prazo. Confira as informações a seguir e entenda:

O surto de coronavírus surgiu em dezembro de 2019 na China, e até então, o mundo não podia prever os efeitos catastróficos que ele traria. Já foram mais de 6.000 mortos registrados no mundo inteiro e como se não bastasse o crescimento desse número assustador, três meses depois do surgimento do vírus, os problemas já começaram a aparecer.

De acordo com dados, espera-se que mais de 25 milhões de brasileiros fiquem sem emprego. Se o país se preparava para si de uma crise financeira, voltamos a estaca zero. Pensando em reverter essa situação, o Governo brasileiro aposta em algumas soluções que podem diminuir os problemas econômicos causados pelo coronavírus.

Uma das principais apostas para esse ano é o saque FGTS, que foi liberado pelo Presidente Bolsonaro. O saque aniversário FGTS pode ser acessado pelos trabalhadores cerca de 60 dias após a data do seu aniversário.

Além desse saque, espera-se ainda novos saques do FGTS em 2020para que a economia possa render e para que os brasileiros possam ter um um apoio financeiro perante a crise mundial.

Os trabalhadores brasileiros podem aderir a modalidade no aplicativo do FGTS disponível no Apple Store e no Play Store. No app, é possível também simular o valor do saque e verificar a data prevista para liberação do valor.

Mas essas medidas já estavam previstas desde o ano passado para que a crise econômica do país fosse revertida. Além dessa medida já instalada, o Governo lançou também uma proposta de auxílio para milhões de brasileiros.

A mais nova ação representa um pacote de auxílio que visa beneficiar milhões de brasileiros que ficaram sem trabalhar durante a pandemia. A expectativa é que essa proposta represente um percentual interessante para o PIB, com um impacto de cerca de R$ 147,3 bilhões para o país.

Quem se classifica como baixa renda, funcionário autônomo entre outros, poderá estar recebendo um valor entre R$600 e R$1.200, dependendo da situação do núcleo familiar durante três meses. Mas vale lembrar que o Governo ainda discute a necessidade de estender as mensalidades.

Veja como um cidadão comum pode propor uma lei no Brasil

Você sabia que um cidadão comum, e com isso queremos dizer, sem envolvimento político, pode estar propondo uma leia para o nosso país? O política em foco acredita que a sua maior arma pode ser o conhecimento e por isso, vamos mostrar a você como uma pessoa pode propor uma leia no Brasil. Leia as informações a seguir e descubra:

De acordo com pesquisas, um grande percentual de brasileiros não compreende o seu poder político e logo, não consegue usar a sua capacidade como cidadão, tanto no aspecto dos direitos quanto no aspecto dos deveres.

Então vamos tratar um pouco sobre a sua participação como cidadão na sociedade e ensinar como você pode estar atuando de maneira mais ativa na política da sua localidade.

Em primeiro lugar, é interessante mencionar o sue papel política desde o início. A emissão do título de eleitor, por exemplo, é fundamental para que o cidadão esteja inserido no seu contexto social.

Até porque, não possuir ou não cumprir com o seu papel na hora do voto, seja diretamente votando ou justificando a sua ausência, pode trazer complicações como a não emissão do passaporte.

Sendo assim, o cidadão precisa estar atento a essas informações para então partir para a criação da lei. Vale lembrar que essa atividade é dividida em etapas, as quais você verá abaixo:

É interessante para o cidadão saber que, no momento de fazer uma proposta a Câmara de Vereadores, ele estará utilizando-se da Participação Legislativa, responsável por receber as sugestões dos cidadãos.

Sendo assim, qualquer pessoa pode estar fazendo a sugestão através da Participação Legislativa, desde que esteja de acordo com o protocolo da mesma. Vale lembrar que a necessidade de um número mínimo de assinaturas só é exigida quando se trata de um partido político, uma instituição ou uma causa internacional. É necessário possuir:

  • Estatuto social da entidade;
  • Ata da eleição da última diretoria;
  • Comprovante de inscrição e CNPJ;
  • Sugestão protocolada dentro da lei.

Os documentos deverão ser enviados para a Comissão de Participação Legislativa, que terá cerca de 10 dias úteis para emitir um resultado, mesmo que seja para prorrogar a avaliação.

Caso venha a ser aprovada, a proposta precisa passar ainda pela Câmara Municipal para averiguar a validade do pedido. Tudo será passado de forma escrita para os responsáveis envolvidos.

Já existem alguns projetos de lei que surgiram a partir de cidadãos comuns, como é o caso de algumas propostas do estado de Curitiba, por isso, vale a pena estar participando politicamente da sua região.

Carreira política: Melhores cursos para quem quer seguir a carreira

A carreira política ainda é bastante aclamada na nossa sociedade, mas quando se trata de profissionalização para entrar nessa área, os estudantes ainda possuem muitas dúvidas. Afinal, qual curso é preciso fazer para seguir a carreira política? Se essa é o seu questionamento, continue lendo as informações a seguir, pois o Política em Foco tem algumas sugestões para você.

Seja por conta do grande prestígio social, pelos  benefícios disponíveis ou pela remuneração acima da média, a carreira política ainda é bastante aclamada no Brasil. Isto vem se constituindo há muito tempo junto com a história da nossa sociedade, apesar de não estar claro para o público como é formado, educacionalmente falando, um político.

Bem, para ajudar você a escolher um curso com o qual você tem afinidade e que seja importante para seguir na área da política, separamos algumas opções para você.

Ciências Políticas

Vamos começar falando de uma opção que fala por si só: ciências políticas. O curso é bastante interessante pois vai estar trabalhando a construção política do estudante, sem enfatizar partidos políticos. Além dessa construção, um individuo também conta com a formação histórica atemporal do seu conhecimento sobre política.

O curso pode ser encontrado tanto na rede particular quanto na pública, como é o caso das universidades federais. Mas vale lembrar que a nomenclatura pode variar de acordo com a instituição.

Direito

Você sabia que o curso de direito também pode ser muito bem utilizado por quem quer seguir carreira política? Isto porque a formação envolve bastante leitura histórica, conhecimento de leis e embasamento teórico. Essas serão vantagens interessantes para o político, principalmente se avaliarmos também habilidades como comunicação e persuasão que estão presentes dentro da área.

O curso de direito é uma das graduações que mais possuem estudantes em todo o país e por isso, não é difícil encontrar uma instituição que receba estudantes para a formação.

História

Um outro curso que pode ser bem aproveitado na área da política é história. É interessante mencionar que, na verdade, a política brasileira é constantemente representada por professores formados em diversas áreas da educação, e que passaram a atuar na carreira política até se tornarem representantes.

O curso não possui uma demanda tão acirrada e por essa razão, o estudante pode sentir mais facilidade ao tentar alcançar uma bolsa de estudos através do Sistema de Seleção Unificada (SISU) ou através do Programa Universidade Para Todos (PROUNI).

Quem ganha seguro-desemprego vai pagar INSS?

O seguro desemprego é um assunto que sempre acaba gerando muitas dúvidas para os brasileiros e uma das mais frequentes tem sido em relação a algumas mudanças aplicadas ao benefício. Afinal, quem ganha o auxílio vai precisar pagar o INSS?

O que é o seguro desemprego?

A CLT garante diversos benefícios para o trabalhador brasileiros e um dos mais importantes deles é o seguro desemprego, pois garante auxílio financeiro para os funcionários que acabaram de ser demitidos.

Mas vale mencionar que nem todo mundo pode ter acesso a esse valor. Em primeiro lugar, apenas funcionários que foram dispensados de seus cargos sem a apresentação de justa causa podem solicitar o seguro.

Além disso, é válido enfatizar que o benefício pode ser pago em até 4 parcelas, dependendo diretamente do tempo de serviço prestado pelo funcionário para a empresa.

É necessário ter vínculo empregatício com a empresa por, pelo menos, 9 meses, o que dá acesso ao menor número de parcelas do seguro.

O número máximo de parcelas pode ser solicitado por funcionários vínculo com a empresa equivalente a 24 meses ou mais.

Quem está de acordo com os requisitos, pode verificar o valor do Seguro Desemprego em 2020lembrando que o total depende diretamente da sua remuneração mensal anterior.

Os trabalhadores que estão recebendo o seguro perdem o acesso ao benefício se começarem a trabalhar novamente com a carteira assinada.

O que mudou?

Muitas mudanças aconteceram no país nos últimos tempos e o seguro desemprego passou por algumas alterações. Afinal, o que mudou em relação a esse benefício?

A notícia de que os trabalhadores que estiverem recebendo o seguro precisarão pagar uma taxa ao INSS é verdadeira, mas existe uma justificativa plausível para a cobrança.

O valor está relacionado ao novo modelo do seguro desemprego, que estará contabilizando a contribuição do INSS para que o brasileiro possa se aposentar.

Isto quer dizer que, mesmo tendo sido demitido, o funcionário ainda continua contribuindo para o Instituto Nacional do Seguro Social e contabilizando o tempo e a contribuição para se aposentar.

O valor cobrado será de 7,5% aplicado sobre o auxílio em questão. Como mencionado, esse auxílio varia de acordo com a remuneração dos trabalhadores, por isso, os cálculos devem ser feitos por cada cidadão.

A alíquota de contribuição pode subir para 8%, dependendo de quanto o trabalhador recebia anteriormente, já que as taxas também passaram por mudanças e agora condizem com o salário do trabalhador.

Nosso objetivo!

Muitas pessoas preferem se manter neutros em relação a política, por achar que ela só engloba as eleições. Bem, é claro que o momento voto é essencial para o funcionamento da sua cidade, do seu estado e do seu país, mas você sabia que a política está muito mais presente no seu dia a dia do que você pode imaginar?

Desde o preço que você paga pela passagem de ônibus até os programas sociais de transferência de renda ou incentivo ao estudo, você está envolvido com a política.

E para ajudar os brasileiros que querem entender de forma mais claro os processos políticos e todos os aspectos relacionados, a dica é conhecer a minha plataforma Política em Foco, na qual postarei sobre política sem partidos definidos com o objetivo de informar você!